Você está navegando por: Notícias Brasil
Assine o nosso Feed de Brasil

União defende no STF 'sobra de vagas' para todos os partidos nas eleições.

Publicada em 07 de Julho de 2018 às 09h12 Versão para impressão

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgará ação apresentada pelo DEM que pede a inconstitucionalidade da nova regra de distribuição das chamadas sobras eleitorais. No fim do ano passado, foi sancionada a Lei nº 13.488/17 que alterou, entre outros pontos, a distribuição das chamadas "sobras" eleitorais.

» Siga-nos no Twitter




A sobra eleitoral corresponde às vagas que restaram para ser preenchidas após a aplicação do quociente partidário (que determina as vagas de cada partido ou coligação, conforme os votos recebidos).

Desde a sanção da nova lei, todos os partidos que participam das eleições poderão concorrer à distribuição dos lugares não preenchidos com a aplicação do quociente partidário (que determina o número de vagas que cabe a cada partido). Antes, só os partidos que haviam atingido o quociente eleitoral poderiam participar das sobras.

Na ação que pede a inconstitucionalidade das regras, o DEM afirma que o modelo atual afronta o sistema proporcional de eleições. Segundo o partido, a distribuição das sobras deveria ser feita apenas entre as legendas que atingiram o quociente eleitoral.

Em manifestação encaminhada ao STF, por meio da Advocacia Geral da União (AGU), a União defende as sobras e argumenta que o novo modelo respeita o sistema proporcional determinado pela Constituição.

Para a AGU, as novas regras prestigiam a vontade dos eleitores que votaram nas legendas específicas e respeita o sistema proporcional.

A ministra Grace Mendonça, da AGU, argumenta que a Constituição determina apenas que os membros da Câmara dos Deputados sejam eleitos de forma proporcional aos votos – deixando para o legislador definir a forma de cálculo e distribuição das vagas.


“A regra sob invectiva está de acordo com outros valores constitucionais, como o pluralismo político, a igualdade do valor do voto e o pluripartidarismo”, afirmou Grace Mendonça.
Fonte: globo  |  Edição: Da Redação

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade OZONTEC
Publicidade FSA
Publicidade PUBLICIDADE
Publicidade FIEPI