Você está navegando por: Notícias Piauí
Assine o nosso Feed de Piauí

Ex-PM que confessou ter matado a namorada com tiro na cabeça nega crime em audiência no PI.

Publicada em 23 de Fevereiro de 2018 às 23h08 Versão para impressão

O ex-Policial Militar Alisson Wattson do Nascimento, acusado de matar com um tiro na cabeça a namorada Camilla Abreu em outubro de 2017, negou ter cometido o crime durante a audiência de instrução e julgamento realizada nesta sexta-feira (23) na 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri, em Teresina. Durante as investigações, o acusado chegou a confessar o crime para a polícia afirmando que houve uma briga e que o disparo teria sido acidental.

» Siga-nos no Twitter



Quando questionado se matou Camilla Abreu, ele respondeu “Não fiz isso” e informou à juíza que presidia a audiência, Maria Zilnar Coutinho, que iria exercer seu direito de permanecer em silêncio. Portanto, não responderia às perguntas da magistrada e do Ministério Público (MP).

No início do depoimento, o advogado de defesa, Pitágoras Veloso, informou que não estava preparado para a audiência, pois teria assumido o caso no dia anterior e pediu o adiamento, mas a juíza indeferiu o pedido. O clima foi de grande tensão e revolta durante o julgamento devido às declarações da defesa, que tentaram desqualificar a vítima.

Ao final da audiência, a defesa pediu a revogação da prisão preventiva, a ser apreciada pela juíza Maria Zilnar Coutinho. O promotor Benigno Filho garantiu que vai opinar pela negação da liberdade provisória a Allisson Wattson.

Ao final da audiência, a defesa pediu a revogação da prisão preventiva, a ser apreciada pela juíza Maria Zilnar Coutinho. O promotor Benigno Filho garantiu que vai opinar pela negação da liberdade provisória a Allisson Wattson.




A estudante Camilla Abreu foi morta na madrugada do dia 26 de outubro de 2017. (Foto: Reprodução / Facebook)

Camilla desapareceu na madrugada de 26 de outubro. De acordo com a polícia, na noite anterior ela e o namorado se encontraram na faculdade onde ela estudava e saíram para um bar com uma amiga. Depois de deixar a amiga em casa, os dois ficaram sozinhos e Camilla não foi mais vista.

Após cinco dias de buscas o corpo da jovem foi encontrado em um matagal. O suspeito confessou o crime, apontou o local onde havia deixado a namorada morta e alegou, segundo a polícia, que Camilla morreu com um tiro acidental no rosto. A versão do ex-PM foi desacreditada pela polícia. Ele foi preso em 31 de outubro e permanece até então.

TERESINA
Fonte: globo  |  Edição: Claudete Miranda

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)
Publicidade FSA
Publicidade OZONTEC
Publicidade PUBLICIDADE
Publicidade FIEPI