Você está navegando por: Notícias Piauí
Assine o nosso Feed de Piauí

Greve dos servidores municipais prejudica atendimento nos CAPs.

Publicada em 05 de Abril de 2016 às 23h25 Versão para impressão

A greve por tempo indeterminado dos servidores municipais tem comprometendo o atendimento nos Centros de Assistência Psicossocial (CAPs), em Teresina. Na Zona Sudeste, parte do serviços foi suspenso e os profissionais estão trabalhando em esquema de escala para não prejudicar os 1200 pacientes.
"Se um paciente estiver em crise, ele será atendido. Estamos realizando também a triagem, só não estão sendo realizados os encontros dos grupos", informou a administradora do CAPs, Kelvia Sousa.
Além das equipes dos CAPs, funcionários da Strans e de algumas unidades básicas de saúde da capital também estão parados. Eles são contra a proposta o reajuste salarial da prefeitura, de 10,7% parcelado em três vezes.
Para o Sindicato de Servidores Municipais (Sindserm), a proposta da prefeitura é cinco vezes menor que a devassagem salarial calculada pela categoria. Além disso, há outras reivindicações que os funcionários pretendem negociar.
"Solicitamos que seja aberta uma mesa de negociação para tratar tanto do reajuste pago de forma integral, quanto a mudança de nível, melhores condições de trabalho e regularização de jornada", pontuou a presidente do Sindserm, Letícia Campos.
O secretário de planejamento de Teresina, Washington Bonfim, explicou que o reajuste e o parcelamento aprovados pela Câmara de Vereadores na semana passada estão mantidos. A justificativa seria a prudência com a atual situação econômica do país e reajustes já concedidos anteriormente a diversas categorias.
"Esta divisão corresponde a necessidade do momento. Nós não temos uma arrecadação de recursos federais e de ICMS vem decaíndo de maneira significativa. Para valorizar o servidor nós decidimos parcelar para que o compromisso da folha seja cumprido", explicou.
Segundo o Sindserm, 14 mil funcionários seram contemplados com o reajuste, que só deve terminar de ser pago em novembro. Contra esta proposta, a classe continua questionando a prefeitura, inclusive pelas condições de trabalho.

» Siga-nos no Twitter

Fonte: globo  |  Edição: Da Redação

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade FIEPI
Publicidade FSA
Publicidade OZONTEC
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)
Publicidade PUBLICIDADE