Você está navegando por: Notícias Brasil
Assine o nosso Feed de Brasil

Jamais recusaremos ajuda aos que precisam', diz Bolsonaro sobre saída de pacto de migração da ONU.

Publicada em 09 de Janeiro de 2019 às 12h58 Versão para impressão

BRASÍLIA - Um dia depois de o governo confirmar às Nações Unidas que o Brasil sairá do Pacto Global sobre Migração , o presidente Jair Bolsonaro afirmou no Twitter que o país não vai recusar “ajuda aos que precisam”, mas defendeu critérios para a entrada de imigrantes.

» Siga-nos no Twitter

O presidente disse que a soberania nacional foi uma das bandeiras de sua campanha e será prioridade do governo. Ele garante que as regras a serem definidas irão trazer mais segurança.


Segundo Bolsonaro, quem vier para o Brasil “ deverá estar sujeito às nossas leis, regras e costumes, bem como deve cantar nosso hino nacional e respeitar nossa cultura”.

O pacto da ONU não cria obrigações legais para os países signatários e, portanto, não impõe mudanças nas legislações nacionais. O Brasil aprovou em 2016 uma nova Lei de Imigração, em substituição ao Estatuto do Estrangeiro, que era uma herança da ditadura militar.

O Pacto Global sobre Migração foi ratificado por 152 dos 193 países-membros da ONU em dezembro, incluindo o Brasil. Na ocasião, cinco países votaram contra, incluindo os Estados Unidos, e 11 se abstiveram na votação.

Antes da posse, a equipe de Bolsonaro já havia anunciado que iria retirar o Brasil do pacto. Na terça-feira, o governo confirmou em telegrama enviado às missões brasileiras nas sedes da ONU em Nova York e em Genebra que deixará o acordo.

Segundo o telegrama, divulgado pela BBC Brasil, o governo brasileiro não vai "participar de qualquer atividade relacionada ao pacto ou à sua implementação". A orientação do Itamaraty era para que os diplomatas brasileiros que estão nessas missões informassem as Nações Unidas, ontem mesmo, a respeito da decisão.

Quando anunciou que o Brasil sairia do acordo, o chanceler Ernesto Araújo argumentou que a imigração é bem vinda, mas não deve ser indiscriminada. O Brasil, no entanto, tem apenas 1 milhão de residentes estrangeiros, menos de 0,5% de sua população. Há mais brasileiros vivendo no exterior: 3 milhões.

Fonte: globo  |  Edição: Da Redação

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade FSA
Publicidade PUBLICIDADE
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)
Publicidade OZONTEC
Publicidade FIEPI