Você está navegando por: Notícias Geral
Assine o nosso Feed de Geral

Governo do PI flagra 9700 servidores recebendo mais de um contracheque.

Publicada em 17 de Janeiro de 2018 às 13h46 Versão para impressão

Secretário Franzé Silva disse que pretende demitir os funcionários irregulares (Foto: G1 Pi)
Secretário Franzé Silva disse que pretende demitir os funcionários irregulares (Foto: G1 Pi)
nos contracheques do Estado do Piauí flagrou 9700 servidores estaduais acumulando cargos. Estas pessoas estão sendo notificadas a se apresentar à Secretaria de Administração para analisar caso a caso. Entre 1947 servidores que tiveram sua situação analisada, 570 deles foram excluídos dos quadros após ser constatado que estavam em situação irregular.

» Siga-nos no Twitter

Foi a partir do último recadastramento de servidores que esses casos começaram a vir à tona. De acordo com o secretário de administração Franzé Silva, a secretaria cruzou os dados estaduais com folhas de pagamento municipais e da União. Entre os flagrados em situação irregular, há servidores acumulando até três cargos.

“Eles não prestavam serviços efetivamente para a população e recebiam indevidamente. E é isso que nós estamos tentando com esse trabalho: excluir definitivamente do serviço público”, disse o secretário Franzé Silva.

Entre os 9700 casos de acumulação de cargos encontrados:

1377 estão em situação regular (médicos e professores).
570 estavam em situação irregular e foram excluídos dos quadros do Estado.
1228 o Governo ainda realiza diligências para entender a situação.
3886 servidores o Governo aguarda comparecimento para negociar.
2649 situações seguem em análise.
Segundo o secretário Franzé Silva, os servidores notificados têm direito ao contraditório. O caso é notificado para a Procuradoria Estadual e o servidor responde ao processo. Se for constatada a irregularidade, ele entra no processo de demissão.

Professores ou médicos que acumulem cargos são considerados legais. O secretário explica que nestes casos são analisados se há choque de horários entre os compromissos, e se for considerado regular, o servidor segue na folha. "É impossível que um médico esteja em três lugares ao mesmo tempo. Isso leva a um prejuízo de atendimento à população, e é isso que queremos evitar”, disse Franzé Silva.




Secretário Franzé Silva disse que pretende demitir os funcionários irregulares (Foto: G1 Pi)

Fonte: globo  |  Edição: Claudete Miranda

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade FIEPI
Publicidade OZONTEC
Publicidade FSA
Publicidade PUBLICIDADE
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)