Você está navegando por: Notícias Esporte
Assine o nosso Feed de Esporte

Federações acertam acordo. Apenas RJ e SP não apoiam candidatura única na CBF.

Publicada em 09 de Março de 2018 às 23h15 Versão para impressão

Quem ainda não assinou o apoio a Rogério Caboclo, candidato único à sucessão de Marco Polo Del Nero na presidência da CBF, vai assinar. Essa é a expectativa dos aliados da situação na confederação. Se na última quinta-feira, mais de 20 federações já estavam de acordo com a nomeação do diretor-executivo da entidade, nesta sexta-feira, apenas Rio de Janeiro e São Paulo ainda continuavam fora da articulação. A eleição será marcada para 16 de abril.

» Siga-nos no Twitter

Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista, também tentava se viabilizar como candidato, mas foi frustrado pela dobradinha Del Nero/Caboclo. Ele e o presidente da Federação do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, foram os únicos a não assinar o "termo de compromisso de candidatura única" até esta sexta-feira. Se na quinta-feira ainda faltava também o apoio dos presidentes das entidades de Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais, hoje não falta mais.

Para ter 100% da chapa fechada falta apenas oficializar as oito vice-presidências da entidade, número aumentado com a mudança do estatuto da CBF, feita ano passado. No entanto, após as reuniões de ontem e hoje, ficou definido que a ideia é ter nesses cargos: o coronel Antônio Carlos Nunes (do Pará e atual presidente em exercício da CBF), Fernando Sarney (do Maranhão e membro da Conmebol no Conselho da Fifa), Marcus Vicente (do Espírito Santo), Gustavo Feijó (de Alagoas), Castellar Guimarães Neto (de Minas Gerais), Francisco Noveletto (do Rio Grande do Sul), Ednaldo Rodrigues (da Bahia) e Antônio Aquino (do Acre).

Até ontem, cinco VPs já estavam decididos e faltavam apenas outros três, que ficarão com as federações que aderiram recentemente ao termo, como Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Na semana passada, uma das vice-presidências foi oferecida a Reinaldo Carneiro Bastos, que recusou a pasta, preferindo se manter como concorrente. Ele, que era favorito a vencer o pleito, em caso de impedimento de Marco Polo del Nero, pelo desejo da maioria das federações, acabou atropelado pelo poder de articulação do presidente suspenso.

- Assinamos um Termo de Compromisso pela Chapa Única, encabeçada por Rogério Caboclo. Quando a composição da chapa estiver oficialmente pronta, assinaremos o apoio a chapa de Caboclo - explicou o presidente da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, na tarde de hoje, na sede da CBF.

A articulação da chapa única de candidatura passou também por Evandro Carvalho, entusiasta de haver somente um candidato e defensor ferrenho de Marco Polo del Nero.

- Além das 19 federações que participaram dos encontros de quinta-feira, também conversei por telefone com os presidentes das federações de Mato Grosso e Roraima (que não estiveram na reunião das entidades do Norte, Nordeste e Centro Oeste, na quinta-feira). Hoje, vim aqui na CBF para uma reunião com o Rogério (Caboclo) e com o presidente Castellar (Guimarães), da Federação Mineira, que era uma das principais federações contrárias à ideia de chapa única, junto com Rio e São Paulo. Mas ainda vou conversar com eles - explicou Carvalho.

O dirigente pernambucano justificou o apoio maciço a Rogério Caboclo com a lealdade das federações à gestão de Del Nero.

- Marco Polo (Del Nero) fez uma grande administração na CBF. Entendemos (as federações) que o mandato é dele e cabe a ele indicar seu sucessor. Não faz sentido dividir, numa hora em que precisamos acabar com essa nuvem que paira sobre a CBF. Marco Polo está dedicado à defesa dele. Se for absolvido, poderá voltar ao futebol, onde quer que seja: num clube, numa federação ou até mesmo ajudar a CBF - opinou.

Ex-opositor, Francisco Noveletto, presidente da Federação Gaúcha, inclusive, mostrou-se "muito satisfeito com a conversa com Caboclo", na CBF. E elogiou a participação do atual diretor-executivo de gestão no sucesso da administração de Marco Polo del Nero, o presidente suspenso preventivamente por 90 dias (até a próxima quarta-feira) pelo Comitê de Ética da Fifa, com base na investigação americana do Caso Fifa em que é indiciado por sete crimes: três de fraude financeira (Copa América, Copa Libertadores e Copa do Brasil), três de lavagem de dinheiro (Copa América, Copa Libertadores e Copa do Brasil) e um por conspirar/formar uma organização criminosa.

- Gostei muito do que eu vi. Foram três horas de reunião, dez presidentes e eu vi só coisa boa. Saí muito satisfeito com a apresentação, objetivo e o que ele (Caboclo) já fez em quase 30 anos de trabalho no futebol. É uma cabeça nova. Ele entrou (na CBF) em 2014, com um faturamento de R$ 250 milhões e hoje está em R$ 800 milhões. Por tudo o que eu ouvi hoje pela manhã, saí bastante motivado porque eles acertaram o caminho, de dois anos para cá, acharam um ponto de equilíbrio e o futebol brasileiro só tem a ganhar com a nova gestão do Caboclo. Boa sorte para ele e para o nosso futebol brasileiro - afirmou Francisco Noveletto.

Agora, a CBF vai aguardar o desfecho do Caso Del Nero na Fifa para marcar a eleição. Na próxima quarta-feira, vence o prazo de 90 dias da suspensão provisória aplicada pelo Comitê de Ética da Fifa. Esse prazo provisório pode ser prorrogado uma única vez, por mais 45 dias. Se não houver a prorrogação e Del Nero for mesmo banido ou suspenso do futebol por prazo maior, a ideia da CBF é confirmar a eleição na entidade para 16 de abril próximo.
Fonte: globo  |  Edição: Claudete Miranda

Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Comentário

Comente

adsense
Publicidade FIEPI
Publicidade FSA
Publicidade OZONTEC
Publicidade PUBLICIDADE
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)