Piaui em Pauta

Campanha Cuidados Coronavírus
Presidente do Cruzeiro estuda

Presidente do Cruzeiro estuda renúncia após rebaixamento e culpa oposição por momento do clube.

Publicada em 09 de Dezembro de 2019 às 20h00


O presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, se pronunciou pela primeira vez após o rebaixamento inédito para a Série B do Brasileiro. Questionado sobre a sequência no cargo, devido à pressão política e da própria torcida, o dirigente admitiu ao GloboEsporte.com que está analisando a situação.

» Siga-nos no Twitter

- Estou repensando seriamente. Mas ainda vou ouvir meus pares, conselheiros, que são quase 300, 200 e tantos conselheiros que me apoiam. E colocar se compensa continuar ou se tem alguém que possa ou queira receber o clube na condição que a oposição deixou. O diálogo meu com eles é aberto e tranquilo. Vamos analisar isso ? disse o presidente.

Wagner Pires de Sá se defendeu e disse que tentou ajudar o Cruzeiro nestes dois anos de presidência, sem querer nada em troca. De acordo com ele, só concorreu ao cargo por pedido dos conselheiros, que não viam outra solução para em 2017.

- Eu não tenho o Cruzeiro, a não ser a dedicação. Eu dei ao Cruzeiro, tentei levar o nome do Cruzeiro, é o que me tornou, me fez ir ao encontro do pedido dos próprios conselheiros. Eles falaram: ?Você é o único que pode assumir a presidência?, na época. Eles acharam que outros candidatos que eram candidatos não tinham a ver com a história do Cruzeiro. Eu fui levado à presidência por esses conselheiros. Incrivelmente, eles que me apoiam até hoje e querem que eu fique. Eu que estou pensando seriamente se compensa o sacrifício que venho fazendo. Não tenho pretensão política.

"Eu não preciso do Cruzeiro para me tornar, profissionalmente, melhor. É só uma dedicação"
Zezé como substituto
Wagner Pires ainda não se decidiu se deixará o cargo, mas demonstrou que vê Zezé Perrella como o mais provável em caso de saída. Entretanto, o presidente ainda tem dois vices: Hermínio Lemos e Ronaldo Granata. Ambos não são investigados pela Polícia Civil e Federal e, até por isso, não pensam, neste momento, em deixar os cargos. Em caso da saída de Wagner, é Hermínio quem assumiria o posto, por ser o primeiro vice-presidente.

- O Zezé quer continuar e, de repente, seria uma dedicação interessante. O Zezé tem pretensões outras que não sei, mas ele foi presidente do Cruzeiro por muitos anos, conhece, é um homem do futebol, sabe das dificuldades, mas eventualmente pode tocar a coisa se, eventualmente, os meus pares acharem, porque o sacrifício é muito grande.

"Queda anunciada"
Wagner Pires de Sá afirmou que o rebaixamento do Cruzeiro já estava escrito e era o desejo da oposição no clube mineiro. Ele citou que o time até o fim do Mineiro e início do Brasileiro era um dos melhores do Brasil.

- Nós ganhamos o Mineiro invicto, tivemos a Copa do Brasil (2018), fizemos uma das melhores campanhas na fase de classificação da Libertadores, com um desempenho excepcional, só perdemos para o Emelec. A partir daí, o time caiu de produção. O mesmo time, aquele que era um dos melhores do país, passou a não ser mais, não vencemos mais nenhum. Conseguimos empatar uma e com muito custo. A queda foi anunciada. O desejo da oposição, que era pequena, foi completada e satisfeita. Eles conseguiram jogar o Cruzeiro na Série B. Já era uma carta escrita, assinada, predestinada. Agora estamos na Série B. Temos que reconstruir o Cruzeiro, fazer da grandeza que ele é. Só tenho que agradecer o apoio que a torcida nos deu até o último segundo.

Além disso, Wagner Pires admitiu novamente que a divulgação da investigação de irregularidades apontadas no Cruzeiro impediu que o clube contraísse o empréstimo de quase R$ 300 milhões com um fundo inglês para pagar as dívidas de curto prazo.

- A reportagem que saiu na Globo deixou o Cruzeiro numa situação muito difícil, porque eu já tinha exposto ao Conselho Deliberativo sobre a situação anterior do Cruzeiro. Nós já tínhamos uma dívida muito grande, uma dívida de R$ 400 milhões, sendo que, dessa dívida, R$ 300 milhões eram de curtíssimo prazo. Eu tinha que pagar, como se pode dizer, no dia seguinte, como salários atrasados, direitos de imagem atrasados, fornecedores atrasados, atraso no pagamento da compra de jogadores e intermediários, que a gente chama de dívidas da Fifa. Se não paga (dívidas da Fifa), seria rebaixado. E saiu uma reportagem da Globo, baseada numa denúncia anônima, que o próprio delegado, na época, definiu como uma denúncia apócrifa. Mas, com isso, conseguiram, não sei por quê, nem de que forma, colocar no Fantástico, e essa situação foi um prato cheio para o restante da imprensa e para as redes sociais. Nós então não conseguimos, porque já estávamos com o empréstimo garantido e assinado, e o grupo inglês, quando viu a situação - e o mercado financeiro é muito rígido quanto a essas coisas - declinou do empréstimo ao Cruzeiro. A partir daí, tivemos muitas dificuldades financeiras.
Tags: Presidente - Cruzeiro

Fonte: globo  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade Assembléia Legislativa (ALEPI)
Publicidade CORONAVIRUS - OZONT
Publicidade CORONAVIRUS
Publicidade FSA
Publicidade FIEPI